InícioFinançasDescubra como investir em criptomoedas passo a passo

Descubra como investir em criptomoedas passo a passo

Apesar da alta volatilidade de curto prazo, o bitcoin tem aumentado constantemente em valor nos últimos três anos.

Desde o início do ano, Bitcoin e Ethereum, as duas criptomoedas mais negociadas, aumentaram mais de 100% e 500%, respectivamente.

O tremendo potencial de ganhos atraiu vários investidores para o reino dos ativos digitais, incluindo nomes proeminentes como o CEO da Apple, Tim Cook, que recentemente divulgou que as criptomoedas fazem parte de seu portfólio pessoal.

Profissionais ouvidos pela Forbes, no entanto, alertam que é preciso cautela ao investir nesses ativos de alto risco.

Fazer a melhor escolha é o primeiro passo para investir em criptomoedas

Escolher uma opção de investimento é o primeiro passo para começar com criptomoedas. Trocas tradicionais, ETFs (fundos de índice), fundos mútuos, trocas descentralizadas e peer-to-peer são os cinco métodos mais prevalentes.

As exchanges e ETFs tradicionais são as mais utilizadas, apesar de todas terem vantagens e desvantagens.

Os investidores têm acesso a uma gama diversificada de ativos nas exchanges, bem como a liberdade de escolher o tamanho de seu investimento e em quais ativos investir.

Binance, Mercado Bitcoin, NovaDAX e Foxbit são algumas das exchanges que oferecem negociação em reais. O investimento mínimo típico é de R$ 50.

Os ETFs, por outro lado, duplicam um índice de referência que fornece exposição a uma variedade de criptomoedas, e o valor do fundo cresce em sintonia com o índice.

O Hashdex Nasdaq Crypto Index Fundo de Index, também conhecido como HASH11, é o ETF de criptomoeda mais popular do Brasil. Ele rastreia o Nasdaq Crypto Index e é negociado na Bolsa de Valores.

Sua composição é formada por oito criptomoedas diferentes e é avaliada trimestralmente.

Antes de selecionar quanto de seu portfólio financeiro será dedicado à criptomoeda, os investidores devem considerar suas características pessoais. “Algumas pessoas vão separar 3%, 5%, e já será uma superabundância.”

Outros vão reservar metade de seu orçamento e se contentar com isso. Mas, no início, é fundamental se expor um pouco, com 2% ou 3%, para conhecer um pouco”, explica Paulo Arago, cofundador da CriptoFácil.

Os investimentos em criptomoedas devem ser feitos estrategicamente

O professor de Gestão Financeira do Ibmec-RJ Guilherme Baumworcel acha que os investidores devem reservar uma certa quantia de dinheiro que estão dispostos a perder.

Altcoins, ou criptomoedas alternativas ao bitcoin, podem oscilar “de centavos para milhares de dólares, e para centavos novamente”, e são considerados investimentos de nível avançado, segundo ele.

Squid, uma criptomoeda baseada na série da Netflix Round 6, foi um dos exemplos mais recentes, caindo de US$ 2.800 para US$ 0 em minutos. O incidente ocorreu quando os fundadores da empresa fugiram com cerca de R$ 13 milhões em recursos de investidores.

Devido aos riscos, ambos os profissionais recomendam começar com bitcoin e ethereum, pois são as moedas mais consolidadas do mercado, porém com maior volatilidade que os ativos tradicionais.

Para começar com altcoins, Arago sugere analisar os projetos de cada moeda, pois eles podem ser vinculados a uma variedade de usos, como o metaverso e o De-Fi. Solana (SOL), Polkadot (DOT), The Sandbox (SAND) e Decentraland estão entre as melhores altcoins, segundo ele (MANA).

A segurança é uma das principais recomendações

O estudo é até mesmo uma das principais recomendações dos especialistas: “Em primeiro lugar, meu conselho para as pessoas que estão começando a investir em criptomoedas é estudar, fazer cursos e assim por diante.

“Ainda é um mercado bastante novo”, Baumworcel ressalta: “Então, absolutamente, cadastre-se em uma das bolsas e veja se há alguma restrição a essa bolsa no site da CVM [Comissão de Valores Mobiliários].”

Várias corretoras desse tipo já foram fechadas, segundo o professor Baumworcel, mas ainda existem e aceitam investidores. Ele também alerta que os nomes “criptoativos” e “criptomoedas” são usados ​​em muitos golpes financeiros no país.

Para confirmar a validade do negócio, pesquise o nome da bolsa nos sites da CVM e do Banco Central, bem como em plataformas de análise de consumidores como o Reclame Aqui.

Mesmo assim, a segurança não pode ser garantida. As criptomoedas fazem parte de uma indústria descentralizada, o que significa que não são regulamentadas por nenhuma autoridade monetária.

Como resultado, se um investidor optar por investir seu dinheiro em uma bolsa e os ativos sob sua custódia forem perdidos, não há como recuperá-los.

“O conceito de ‘não são suas chaves, não são suas moedas’ está bastante enraizado na comunidade hoje.” Em outras palavras, quando você armazena suas criptomoedas em custódia em uma bolsa, a bolsa possui as criptomoedas”, explica Arago.

“O saque está na mesa para você. Mas e se a exchange for hackeada ou você perder sua senha como resultado de um ataque de phishing? “Tudo já foi dito e feito.”

Para diminuir o perigo de perder dinheiro, o especialista sugere o uso de uma carteira física, como as conhecidas hardwallets, que são usadas para manter a chave privada que concede acesso aos fundos de um investidor em criptomoeda.

Essa mídia tem uma vantagem significativa, pois não está conectada à Internet e, portanto, não pode ser hackeada. Com isso, ao invés de manter os ativos sob custódia da bolsa, o investidor os mantém e simplesmente utiliza a bolsa para negociação.

Quando você deve investir em criptomoedas?

Embora os períodos negativos sejam normalmente incentivados para a compra, ambos os especialistas concordam que não existe um “momento ideal” para começar a investir em criptomoedas.

A ProShares Bitcoin Strategy, o primeiro ETF de futuros de bitcoin nos Estados Unidos, foi introduzida em outubro, dando um impulso à moeda e impulsionando-a a novos máximos.

“Esses ativos estão aumentando continuamente”, explica Arago. “Na verdade, uma das vantagens mais significativas das criptomoedas é essa.”

Há muita volatilidade no curto e médio prazo, mas se olharmos para um horizonte mais longo, de três anos para cá, a tendência é sempre de valorização.”

O desempenho passado não garante resultados futuros, mas o progresso consistente é o que leva Baumworcel a argumentar que “o momento certo é quando você está disponível para investir e estudar”, apesar da necessidade do investidor estar preparado para perdas mais uma vez.

Por fim, os especialistas apontam que o IRS tributa os investimentos em criptomoedas. O órgão adotou códigos específicos para que esses ativos fossem incluídos na declaração de imposto de renda pela primeira vez em 2021: 81 para bitcoins, 82 para altcoins e 89 para outros tokens. Devem ser declarados no formulário intitulado “bens e direitos”.

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -

VEJA TAMBÉM